Política

Rede Brasil anunciou com exclusividade votação da PEC 5 em estreia de um dos principais jornalistas conservadores do Brasil na emissora

Com dez anos de experiência em Telejornalismo, Oswaldo Eustáquio fez sua estreia em rede nacional em entrevista com o senador Oriovisto Guimarães. O assunto foi a PEC da prisão em segunda instância e o fim do foro privilegiado defendido pelo senador

Na contramão da quebradeira da Globo que demitiu centenas de funcionários nesta semana a Rede Brasil saiu na frente no cenário político jornalístico. Nesta terça-feira, a emissora surpreendeu o mundo político em Brasília com um programa de entrevistas apresentado pelo jornalista investigativo Oswaldo Eustáquio, um dos principais jornalistas influenciadores digitais do Brasil e uma das principais referências do conservadorismo no Brasil.

O jornalista é de Curitiba, mas atualmente vive em Brasília. Ele foi o primeiro jornalista do governo de transição de Jair Bolsonaro. Ele chegou na capital federal ainda em dezembro para chefiar a comunicação do Ministério de Damares Alves e foi o responsável pela gestão de crise da Ministra quando foi duramente atacada pela grande mídia, chegando a ser acusada de sequestrar uma menina indígena.

Eustáquio desmentiu reportagens de grandes revistas com base no jornalismo investigativo. Um caso emblemático na época foi que uma dos periódicos utilizou a gravação de uma mulher indígena que teria sido traduzida pela revista por um tradutor da língua tupi, no entanto, a mulher indígena era do povo Kamayurá, ou seja, a revista traduziu um idioma diferente.

Ele ficou no governo apenas durante o período de transição, de forma voluntária, optou por não ser remunerado e logo depois deste governo transitório que encerrou oficialmente em fevereiro, ele voltou para a redação de jornalismo, onde entende que é o seu propósito.

Ele permanece em Brasília, pois sua esposa, a jornalista Sandra Terena ocupa o cargo de Secretária Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e deixou para viver em Brasília deixou a Direção de Jornalismo da TVCI, cargo que ocupou por quase dez anos.

Na emissora que tem sua cabeça de rede em Paranaguá, o Eustáquio revolucionou o jornalismo do litoral paranaense, denunciando os três últimos superintendentes do Porto de Paranaguá, dois deles presos após suas reportagens. Também foram presos o prefeito da cidade portuária de Antonina, mais sete vereadores e o dono do porto privado. Um dos casos mais emblemáticos trazido por ele, foi o que envolveu uma fraude contra os mais de seis mil pescadores do litoral paranaense que foram lesados por seus advogados no recebimento de indenização por danos ambientais causados pela Petrobrás. Após esta denúncia, o juiz da cidade chegou a ser preso junto com o dono dos dois únicos cartórios cíveis da cidade, bem como 17 advogados e o presidente da Colônia de pesca. Antes de sair da emissora, a sua última reportagem derrubou o presidente da Câmara dos Vereadores de Paranaguá.

Este jornalismo intenso com base na verdade, fez com que a TVCI se tornasse líder absoluta de audiência no litoral do Paraná, vencendo a Globo com folga. A estreia do jornalista na Rede Brasil de Televisão de forma surpresa, sem ser anunciada foi um dos assuntos mais comentados no Congresso Nacional, pois ele anunciou na entrevista com o Senador Oriovisto Guimarães, a votação na CCJ da PEC 005, que dispõe sobre a prisão em segunda instância, dessa forma a Rede Brasil furando a Globo e todos os veículos de comunicação que trouxeram a notícia apenas nesta quarta-feira. O assunto rendeu tanto entre os senadores, que a oposição teve que manobrar pedindo vistas sobre a questão.

A surpresa da Rede Brasil com a estreia do jornalista Oswaldo Eustáquio parece ter sido uma estratégia de comunicação da emissora, para gerar impacto, sem anunciar o reforço peso pesado no time de jornalismo. Em uma roda de deputados no Congresso Nacional, falou-se que o silêncio da emissora sobre a grande aquisição teria sido uma estratégia de Marcos Tolentino, presidente do grupo para que o impacto fosse maior. De fato foi.