Mundo

“Que raiva. E se todo mundo descobre”, diz jornalista do Intercept após adulterações de Greenwald

Nesta quinta reportagem da série vamos mostrar trechos gravados dos jornalistas do site The Intercept Brasil que revelam que eles trocaram mensagens atribuídas ao procurador Deltan Dellagnol e também que os jornalistas estão amedrontados. E o medo é de Gleen Greenwald, o dono do Intercept.
(Foto: foto: Hugo Alves)

Para quem não acompanhou as outras matérias, vou lembrar que os áudios, que já estão em posse do Ministério Público Federal e podem ser periciados, foram gravados na cafeteria Starbucks do Anhembi em São Paulo durante o Congresso de Jornalismo Investigativo da Abraji em que este colunista Oswaldo Eustáquio – oswaldojor (twitter)  e @Hugojor3 (Twitter) estiveram presente pelo terceiro ano consecutivo.

Nestas gravações, os jornalistas da Intercept admitem ter trocados trechos de Dallagnol, mostram insatisfação e medo com relação a Greenwald. Em determinado trecho a jornalista Bruna Delara diz: “Que raiva. E se descobrirem a gente”. Demori, o editor executivo diz que queria xingar o jornalista americano que havia adulterado trechos e irritado os jornalistas. Mas no final, frustrados, Bruna diz “É ele quem manda”.

Já revelamos em matérias anteriores em áudios que podem ser periciados e já estão em poder do MPF que Demori admite que Gleen errou tudo em pelo menos uma matéria. Nomes, datas, blocos, citação, enfim, tudo.

A partir deste farto material jornalístico realizado pelo página República de Curitiba, Agora Paraná/UOL e Renews temos subsídios para acreditar que Greenwald e sua turma estão dormindo pouco, pois logo podem ser descobertos em  uma história onde o hacker criminoso pode estar mais perto do que se imagina. “O hacker não veio hoje”, disse Demori em um dos áudios revelados por este canal. Mais um, menos um. A casa dos corruptos está prestes a cair.

Siga no Twitter @oswaldojor / @Hugojor3