Política

Ministério de Damares destina R$ 35 milhões em cestas básicas indígenas e quilombolas em meio a pandemia da Covid-19

O Ministério de Damares Alves vai destinar cestas básicas para famílias indígenas e quilombolas. A Secretária Nacional da igualdade Racial, Sandra Terena,  assinou um Termo de Execução Descentralizada (TED) no valor de R$ 35 milhões para compra de alimentos a essas duas importantes comunidades tradicionais brasileiras em "situação de vulnerabilidade  em relação a sua segurança alimentar e nutricional em face da pandemia do Coronavírus (Covid-19)", conforme redação do extrato publicado em Diário Oficial do dia 9 de abril.  
As comunidades tradicionais serão assistidas pelo governo Bolsonaro como nunca antes na história e com medidas importantes que estão chegando na ponta, a quem realmente precisa.
A entrega destes alimentos será de responsabilidade da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O documento foi assinado pela secretária Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e pelo presidente da Conab, Guilherme Sória Bastos Filho.
Ao que tudo indica, outra medida importante do governo Bolsonaro que deve alcançar todas as comunidades tradicionais é coronavoucher. Indígenas, quilombolas, ribeirinhos também poderão solicitar o auxílio de R$ 600 do governo federal que terá duração de três meses, desde que estejam dentro das regras do programa. Pescadores artesanais e marisqueiras também poderão requerer o benefício.
Os beneficiários não podem ter recebido em 2018 valor superior a R$ 28.559,00 e devem estar cadastrados no CAD único do governo federal. Os que não tem cadastro podem baixar o aplicativo da Caixa Econômica Federal.  As medidas do governo Jair Bolsonaro em pról das comunidades tradicionais devem ter início das operações no início da próxima semana.