Cotidiano

HD teve sede em rua protegida pelo tráfico de drogas, tem Mérison Amaro como sócio oculto e mantém Blog apócrifo

Veja a reportagem do jornalista Oswaldo Eustáquio, um dos principais jornalistas investigativos do Brasil. Ele revela o mercado obscuro das registradoras fantasmas. Um esquema de corrupção bilionário que começa a vir à tona pelo trabalho de jornalismo investigativo que você vai ler a seguir. 

Do Jornal Agora Paraná - Matéria do jornalista Oswaldo Eustáquio

Após oito meses de apuração, o núcleo de jornalismo investigativo do Agora Paraná percorreu o Brasil em busca das registradoras fantasmas. Nesta terceira reportagem vamos mostrar que a empresa HD Soluções atendia os registros de financiamento solicitados pelos bancos a partir de uma favela, mais especificamente em rua protegida pelo Primeiro Comando da Capital, o PCC. Atualmente a HD possui uma sede fantasma em Brasília e sua sócia controladora tem sede em um barraco no Riacho Fundo, cidade satélite de Brasília.

Na verdade, a HD soluções é uma empresa a laranja da B3, quinta maior bolsa de valores do mundo. A empresa tem como sócio oculto, Merison Marcos Amaro, que teve seus bens bloqueados pela operação Bererê por fraudar o Detran no estado do Mato Grosso. Ele colocou sua esposa e sua filha como laranjas da empresa e controla um blog apócrifo que serve para achacar e difamar seus concorrentes. Os problemas fiscais, criminais e morais de Merison, seus parceiros políticos e da HD soluções começa a vir à tona a partir da terceira fase da série "Registradoras Fantasmas" realizada por este Agora Paraná, um dos únicos veículos no Brasil que mantém sua versão diária impressa e hoje é reconhecido nacionalmente pelas reportagens investigativas em âmbito nacional.

Após o escândalo de corrupção envolvendo Merison Amaro no Mato Grosso, ele sai de cena no estado e aproveitou o conhecimento no submundo do crime para continuar atuando, mas sem aparecer. Foi nesse período de fuga que ele criou a empresa HD Soluções. A primeira sede da empresa, foi uma favela no bairro Antonio Diego, no Ceará. O endereço de fachada era apenas para enganar as instituições financeiras.

Veja o vídeo com a reportagem completa:

De Bancos à favela

As operações de registro eletrônico de contratos realizadas pela HD eram feitas a partir dos bancos e processadas na favela. Foi dessa forma que foram realizadas centenas de operações entre os principais bancos privados do Brasil e a registradora HD Soluções. A empresa atua como laranja da B3 no mercado de registro de financiamento de veículos no Brasil.

Por quase dois anos, a relação incestuosa entre HD soluções e o setor de registro de financiamento dos bancos era feito a partir de uma favela comandada pelo PCC em Fortaleza, estado do Ceará. O Núcleo de Jornalismo investigativo do Agora Paraná foi até a capital do Ceará conhecer o endereço que constou no contrato social da HD Soluções logo que a empresa foi aberta. Para chegar até a rua Acaraú, 275 no Bairro Antônio Diego tivemos que nos tornar invisíveis para o tráfico de drogas.

A rua onde funcionou a sede da HD Soluções é protegida pelo Primeiro Comando da Capital, o PCC. O carro da nossa equipe de reportagem chegou a ser parado no meio da favela. Fomos alertados que na rua do tráfico é necessário andar com os vidros baixados. Nem a polícia está fora dessas regras. Já no coração da favela, na Rua Acaraú, a direita do nosso carro, um barraco avermelhado com um relógio de energia cortado e com os fios do chamado gato de luz mostra o número 275. Foi neste local que os funcionários da HD soluções eram contatados pelos bancos para tratar dos registros de financiamento de veículos.

Os contratos de quem financiou um carro com os bancos que utilizaram a HD como registradora estavam protegidos pela milícia comandada pelo PCC. O compliance dessas instituições financeiras não detectou o esquema que servia para beneficiar também a B3, quinta maior bolsa de valores do mundo. Isso de acordo, com o contrato social da empresa. O esquema de fraude que envolve a HD soluções e a B3 funcionada no formato de hub. A HD soluções empresta o CNPJ para atuar no ramo de registro de financiamento de veículos, mas na prática quem faz o serviço é a B3.

A Bolsa de valores tinha o monopólio do mercado de registro de financiamento de veículos, mas após uma investigação da CGU que descobriu o crime de monopólio, a B3 não pode mais atuar oficialmente. A resolução 689 de 2017 baniu bolsa de valores deste mercado pela questão criminal. Para continuar no esquema, de forma irregular, a Bolsa utiliza empresas laranja para atuar no mercado, mas na prática, quem continua efetuando o serviço é a B3. A operação fraudulenta ainda é possível graças a nota técnica 032 do Denatran, que foi feita na calada da madrugada, sem nenhum parecer jurídico, por servidores que foram exonerados do órgão sob suspeita de fraude.

Controladora da HD soluções tem sede em periférica de Brasília

A HD soluções nasceu em uma favela comandada pelo PCC e cresceu também com endereço fantasma em outra região periférica. Desta vez na região do Riacho Fundo, no entorno de Brasília. A empresa Naxos Soluções, empresa controladora da HD Soluções, que detém 35% das quotas da registradora fantasma, existe apenas no papel. Nossa equipe foi até o endereço da empresa que consta no Registro da Receita Federal. Tivemos que deixar o carro uma quadra antes do endereço, pois a rua se estreitava e se tornava um beco.

No endereço da empresa Naxos, Controladora da HD Soluções, encontramos um barraco. Uma senhora nos atendeu e informou que o local é uma residência, mas que também funciona como escritório de contabilidade, mas nunca foi uma empresa de tecnologia e está longe dos padrões dos compliances dos bancos, principais clientes das registradoras.

Nossa equipe também foi até a sede da HD Soluções em Brasília e constatou que de fato trata-se de uma empresa fantasma. Não havia ninguém no local. Duas salas em um prédio da região central de Brasília, sem sequer ter uma recepcionista para atender.

De acordo com dados da Receita Federal, Rosangela do Rocio Maravieski Amaro e sua filha Ariana Karina Amaro são as principais sócias da HD Soluções. Esposa e filha, elas são laranjas de Merison, que comanda a empresa. A reportagem localizou Rosângela Amaro, uma das principais acionistas na HD. Ela contou a reportagem que o nome dela e o da filha são apenas para constar no papel, mas o verdadeiro dono da empresa é Merison Marcos Amaro, seu ex-marido.

No papel ainda marido, pois eles não se separaram oficialmente. Rosangela contou que hoje Merison vive com uma nova esposa ou companheira no Piauí e por isso não deixou a empresa no nome dele.

Bens bloqueados

O nome de Merison não consta no capital social da HD porque isso prejudicaria a empresa na relação de compliance com os bancos, pois ele está com os bens bloqueados devido aos atos de corrupção no Dentran-MT e também pelas questões pessoais reveladas pela própria Rosângela.

No vídeo apresentado gravado com Rosangela Amaro, dona no papel da HD soluções, a editoria desta reportagem decidiu colocar apenas as questões de interesse público, pois se o vídeo fosse colocado na íntegra a moral de Merison jamais seria recuperada. O vídeo na íntegra tem 12 minutos, nossa reportagem mostra apenas 50 segundos. Rosangela, a verdadeira dona da HD Soluções em sociedade com a filha, empresta o nome para receber uma mesada do marido que vive com outra mulher no Piauí. Merison Amaro foi denunciado na operação Bereré que investiga um esquema de corrupção no Detran Mato Grosso. Ele está com os bens bloqueados e a justiça não consegue citá-lo em sua casa na região oeste de Brasília. Conforme apurou a reportagem do Agora Paraná, Merison se esconde das citações no interior do Piuaí. O Ministério Público investiga o desvio de 30 milhões por uma quadrilha envolvendo Merison Amaro o ex-governador do Mato Grosso Sinval Barbosa e 14 deputados. Durante a investigação seis pessoas foram presas. Ao todo 58 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público em um esquema que desviou R$ 30 milhões do Detran-MT. 

Blog apócrifo

Merison Amaro e sua filha Ariana Karina mantém um blog na internet para difamar os concorrentes da HD Soluções, mas que também atinge diretamente os seus próprios clientes, os bancos. A reportagem do Agora Paraná teve acesso com exclusividade a dados do Google Brasil que revelam que o blog difamatório tem registrado o e-mail de Ariana Karina Amaro. No Brasil a crítica é permitida, vedado o anonimato.

Dessa forma a manutenção do blog se torna criminal. A reportagem entrou em contato com Ariana Karina por telefone, mas ela se recusou a responder as perguntas. Questionada sobre ser laranja do pai na empresa ela respondeu: "Aham, sei". Quando perguntamos se a sede do Blog apócrifo fica na mesma sala da HD Soluções ela desligou o telefone dizendo que as perguntas eram "tendenciosas". Um dia depois que a reportagem a questionou sobre isso, ela e seu pai escreveram duas notas difamatórias e mentirosas sobre os jornalistas autores desta reportagem, mesmo antes de ela ser publicada, o que é mais uma prova de que eles controlam o blog, que serve como instrumento de manipulação e é comandado por Ariana e Merison Amaro.

O site tem sido ferramenta para cometer crimes e utilizada a velha estratégia de corrupção: acuse daquilo que o acusa. Do submundo da internet, utilizando servidores fora do Brasil, no Panamá, Ariana e Merison Amaro comandam campanhas de difamação.

A reportagem do Agora Paraná teve acesso com exclusividade aos endereços de login deste blog e chegamos a endereços na cidade de Brasília, na residência da família Amaro, na cidade de São José dos Campos, estado de São Paulo, no estado do Piauí e na pequena cidade de Frutal, estado de Minas Gerais. Procuramos a Delegacia Especializada em crimes virtuais que informou que estes crimes podem ser denunciados por quem se sentir ofendido com as publicações do blog apócrifo e que não existe anonimato na internet. Os endereços IPs levam ao endereço exato do local dos crimes.

O esquema criminoso que envolve a B3, a registradora fantasma HD soluções tem como pivô do esquema o empresário Pablo Castelhanos Teixeira que é sócio oculto de Merison. Pablo é lobista da HD soluções e sócio do deputado federal Carlos Henrique Gaguim que responde a 153 processos por improbidade administrativa no Tribunal de Justiça do Tocantins. Assunto que será tratado na próxima reportagem da série.