Brasil

Completa 1 ano a facada que quase matou Bolsonaro

Após 1 ano da facada dado pelo criminoso Adelio Bispo em Juiz de Fora-MG, Bolsonaro entrará para outra cirurgia, agora menos preocupante. Apesar do susto do atentado, Bolsonaro segue saudavel e forte liderando o Brasil. Para seus eleitores "O dia da facada" se torna um dia da liberdade do Brasil contra a implantação  do comunismo do PT no País.  

Ferida aberta

Um dos grandes motivos para que facada de Bolsonaro seguisse em pauta foi o encerramento das investigações pela Polícia Federal (PF), dez meses após o ocorrido, sem que houvesse o indiciamento de um mandante. O próprio presidente costuma refutar a tese de que Adélio Bispo agiu sozinho. Com o objetivo de descobrir quem supostamente apoiava o homem que o esfaqueou, Bolsonaro chegou a se prontificar a encontrá-lo pessoalmente.

Trauma revivido frequentemente na oratória, a facada de Bolsonaro deixou uma cicatriz desenhada em quase toda extensão do abdômen dele. A marca já foi exibida sem qualquer pudor mais de duas vezes na TV, uma delas num humorístico. "Alguns falam que foi fake", brincou o presidente ao levantar a camisa. Na fala mais recente sobre o tema, num canal do Youtube, ele resumiu o incômodo que sente quando se refere ao ataque: "Há muito tempo espero que a PF chegue no final da linha. Entre o meu caso e o da Marielle Franco, que a imprensa tanto reverbera, o meu é muito mais fácil ou menos difícil de se desvendar", disse Bolsonaro.